Agulhas Negras – Trilha para base

Pico das Agulhas Negras – Parte 1

O Pico das Agulhas Negras, esta na lista dos cumes do Brasil, preenchendo a 5ª colocação neste ranking, ou seja o quinto ponto mais alto do nosso Brasil! Seu acesso e ascensão devem ser feitos através do “Posto do Marcão” (entrada para parte alta do PNI – Veja o acesso através deste link). Além do custo para visitar o Parque Nacional do Itatiaia – PNI, é altamente recomendável a contratação de um guia, principalmente por aqueles que não conhecem o parque, não possuem equipamentos adequados (não é permitido acesso ao cume sem equipamentos) ou não tem experiência em escalada.

Entretanto, se você se enquadra num caso destes, nem tudo está perdido! É possível realizar o trekking até a base do pico, sem auxilio de guias ou equipamentos. O caminho é muito bem demarcado, sendo considerada uma trilha “auto-guiada”.

 

Passando pelo Posto do Marcão

Acesso_Posto_Marcao3Após passar pelo Posto do Marcão, siga pela estrada principal. Serão aproximadamente 3 km de caminhada em terreno relativamente plano até o que parece ser o fim desta estrada (normalmente ficam carros estacionados próximos a este ponto). Chegando neste local, à esquerda você avistará os banheiros do parque conjuntos a uma área com mesas para refeições. Este local é utilizado pelos campistas e pelos turistas que utilizam as dependências do parque diariamente. Neste local, se o tempo estiver bom, você já conseguirá visualizar partes do Pico das Agulhas Negras.

 

Do Abrigo Rebouças à Base do Pico das Agulhas Negras

Passando pelos banheiros, o próximo ponto de referência (bem próximo, cerca de 20 a 30 metros) é o Abrigo Rebouças, o abrigo de montanha mais alto do Brasil. É passando em frente ao abrigo, que começarão as placas indicativas dos principais destinos do parque, entre eles o acesso à base das Agulhas Negras.

Saiba mais sobre o Abrigo Rebouças, aqui!

Deste ponto em diante, a navegação também é fácil! Você passará por algumas bifurcações curtas já no início da trilha, que se “religam bem adiante”. Na verdade são alguns desvios, por caminhos mais fáceis ou adequados em períodos de chuva. Mas o chão é bem batido, indicando que as pessoas frequentemente passam por ali.

O trajeto é de aproximadamente 1,5 km até a base. O terreno varia entre terra, pedras, curtas subidas e descidas. Placas estão dispostas ao longo da trilha e a melhor dica é seguir em direção ao Agulhas, que fica mais visível a cada aproximação.

Um dos pontos mais populares do caminho é a famosa ponte suspensa, que auxilia os trilheiros na transposição de uma grande área de charco. Como referência, ela fica mais ou menos na metade deste 2º percurso. Passar por ela é muito divertido – balança mesmo!

Seguindo pela trilha e a orientação das placas (sempre em frente), você também perceberá a presença imponente das “Prateleiras” (à direita da trilha) e logo a frente, bem mais próximo o maciço das Agulhas Negras.

Já bem perto da base, um pequeno riacho atravessa a trilha com uma placa marcando a altitude do local. Mais adiante vê-se outra placa indicando o fim da trilha e limitando / não recomendando o avanço para aqueles que não tem os requisitos citados no início deste post.

 

Dados:

  • Distância total: ~ 4,5 km
  • Nível Dificuldade: Fácil
  • Navegação: Fácil
  • Altitude inicial (Posto Marcão): ~ 2.450 metros
  • Altitude final (Base Agulhas Negras): ~ 2.430 metros

 

T&T – Mais Trilhas e Montanhas pra você!

 

 

Comente com Facebook

Saiba mais sobre o autor: Andre Pires Moraes