Sete dias em Bonito – MS (Part. 5)

7 dias em Bonito – Parte 5

5º dia – A Boca da Onça – Ecotur é mais um dos incríveis lugares que há no estado do Mato Grosso do Sul. Este fica no município de Bodoquena, a 59 km de distância de Bonito.

Sai por volta das 7hr do hostel, assim que chegamos no receptivo, é feita a apresentação do local, que possui restaurante, redário, uma piscina enorme, vestiário, um pequeno museu, etc. O receptivo é bem bacana, da para aproveitar bem, e curtir o visual do lugar antes de ir para a trilha. Durante o percurso da trilha, se passa por uma lanchonete onde se pode comprar salgado, suco, água, etc. Porém, antes de sair para a trilha você deve trocar seu dinheiro por fichas no receptivo para poder usar quando for consumir algo, já que não aceitam dinheiro e cartão neste ponto. Assistimos um rápido video informativo sobre o local e fomos de pau-de-arara para o início da trilha.
A primeira parada é no mirante do rapel, lá poderá avistar o Vale do Rio Salobra a 180 metros de altura, uma vista incrível. O passeio de caminhada por trilha pela mata preservada inicia com a descida de 800 degraus floresta a dentro, durante a descida há várias placas de madeira com frases escritas por uma antiga dona. A primeira cachoeira que vemos é a Boca da Onça, que para mim é a top do lugar, com seus 156 mt de altura, vemos primeiro de um mirante, e depois caminhamos por cerca de 15 min para chegar até ela. Mal chego no lugar e já sinto a brisa da água no corpo vindo dessa imensa cachoeira. O lugar tem várias cadeiras para relaxar um pouco, e poder apreciar essa grande obra da mãe natureza. Seguimos para um ponto de banho onde se tem um espaço bem maior para aproveitar e nadar, e com uma vista top da grande cachoeira. Partindo daí, fazemos uma parada para comer algo e dar um tempo para a galera, passamos por mais cachoeiras bem bacanas como a do Fantasma e da Anta, e a do Buraco do Macaco. Nessa cachoeira, você entra por uma pequena gruta, a água é bem clara, um parada boa pra relaxar e deixar a água cair no rosto. Ali mesmo antes de entrar na gruta ficam dispostos coletes, e como o espaço não é tão grande e é fundo, tirando as bordas onde da para ficar em pé, vale a pena ir com um para não se cansar. Para fechar a  última que passamos, tem aquela vista de borda do infinito, incrível.

Voltamos para o receptivo onde é servido o almoço, que como o dos outros lugares que estive também estava ótimo, e depois não consegui esperar muito e cai na piscina para aproveitar mais daquele lugar, fechando então mais um passeio sensacional.

Informações e custos:

  • Boca da Onça – Ecotur: R$ 183,00 (incluso almoço)     ** Baixa temporada
  • Duração: dia todo

Mais fotos dessa viagem – Clique aqui!

Comente com Facebook

Saiba mais sobre o autor: Leandro Tobias Miranda