Ruínas de Tiwanaku

Visitando Tiwanaku – Bolívia

Custo e duração

As ruínas da antiga civilização Tiwanaku, na Bolívia está a aproximadamente 2 horas de La Paz e pode-se contratar este tour facilmente nas agências
de turismo ou em muitos hostels, que oferecem os mais variados tours!

Contratamos a visita à este destino pela agência “Loki Travel”, pelo valor de U$ 25,00. Como o passeio ocupa praticamente o dia todo, o valor pago já inclui a refeição, o traslado ida e volta, visita a Pumapunku (outro sítio arqueológico) e guia turístico (que vai contando a história, conforme evolução do tour).

História

A civilização Tiwanaku, data de aproximadamente 1.500 A.C. até 1.000 D.C, sendo portanto classificada como uma civilização pré-inca, que influencia principalmente a cultura Boliviana, enquanto os Incas influenciariam as culturas Peruanas. Devido a sofisticação do Império Tiwanaku, fazia-se acreditar que sua capital (hoje as ruínas Tiwanaku) era o centro do mundo. Alinhamentos perfeitos de alguns pontos da construção como a “Porta do Sol”, que serviria para indicar as estações do ano e os respectivos períodos de plantio e colheita, são exemplos da tecnologia desta civilização.

  • A cidade, que vem sendo escavada até os dias de hoje, encontra-se com muitas avarias basicamente por dois motivos:
  • A colonização espanhola que destruía os totens e templos, por acreditar (por influência do cristianismo da época) que se tratavam de adorações ao demônio.

E a exploração turística (de alguns anos atrás), sem a devida conscientização de preservação do local.

As ruínas, totens e templos

Sem dúvida o totem mais impressionante das ruínas é o Monolito Bennett, com monolito_tiwanakuseus imponentes 7,3 metros de altura com aproximadamente 20 toneladas, foi descoberto numa câmara subterrânea em 1932 em ótimas condições de conservação, já que a colonização espanhola não teve conhecimento de sua existência. Hoje o monolito permanece protegido das ações do tempo e fotografá-lo é proibido, assim conseguimos imagens na internet para postar aqui.

Ainda existem outros totens na área externa (na cidade arqueológica), os que não foram destruídos durante a colonização, foram marcados com um entalhe de “cruz”, sendo um modo de exorcismo das imagens pelo cristianismo.

A perfeição da construção dos muros do templo também são impressionantes, sendo feitos de pedra com uma precisão para deixar qualquer um pensativo sobre “como conseguiram este feito…”.

No templo subterrâneo (mas está a céu aberto), é possível apreciar as paredes com cabeças entalhadas nos blocos de pedra que as compõe. Segundo o guia, as cabeças representariam pessoas importantes na história da civilização e homenagens à importantes visitantes ou até mesmo crença sobre deuses. Os pilares ao centro do salão serviriam também como indicadores para estações e cultivos, estando também alinhados a porta do sol.

Após a visita pelo sítio arqueológico, é hora de almoçar e seguir para outro sítio: Pumapunku, onde encontramos monolitos com recortes inexplicáveis até hoje. Mais essa visita fica para um próximo Post.

Resumo:

  • Duração do passeio: 1 dia (das 8h às 17hs – incluindo Pumapunku)
  • Valor: U$ 25,00 (fechado no próprio hostel)
  • Nível de dificuldade: Levíssimo
  • O que levar: 1,5 lts de Água e opcionalmente frutas ou lanche.

Localização:

Mais sobre Tiwanaku? Acesse este link recomendado, clique aqui.

Até a próxima!

T&T.

Comente com Facebook

Saiba mais sobre o autor: Andre Pires Moraes