Trilha Salkantay – 5 dias e 4 noites (parte4 – Segundo Dia)

Dia 02: Montanha Salkantay

O segundo dia da trilha Salkantay, começa bem cedo. Somos acordados aproximadamente 5hs da manhã, com direito ao chá de coca entregue diretamente na barraca. Logo depois todos são convidados à tenda de alimentação para o café da manhã, composto de mais chá de coca, chocolate quente, café, pão, biscoitos, manteiga, geléias e algumas frutas.

Após o café da manhã, é hora de desocupar as barracas, preparar a mochila e aguardar todo o grupo para partirmos. As manhãs em Soraypampa são extremamente frias. Até o início da caminhada registramos algo em torno de 7ºC, já umas 6:30h.

Muitos relatos sobre a Salkantay são enfáticos sobre a dificuldade do segundo dia e realmente todos tem razão. Basicamente toda manhã de caminhada é em ascenção, e os efeitos da altitude dificultam ainda mais a progressão, sendo necessárias muitas paradas para retomar o fôlego e hidratar. Em compensação, certamente neste dia estão contempladas as paisagens naturais mais bonitas de toda a trilha. Então as paradas para descanso servem para fazer muitas fotos e filmagens bonitas (confira aqui nossas fotos do segundo dia). 

A dificuldade do segundo dia deve-se por alcançarmos o ponto culminante de todo o percurso até Machu Picchu. A saída de Soraypampa (3.900 m), na metade da subida a passagem em Salkantaypampa (4.150 m) onde pode-se comprar agua e alguns suvenirs, chegando à base da Montanha Salkantay (4.620 m), onde muitos grupos tiram as tradicionais fotos com a placa de madeira ao fundo. Resumindo, é uma diferença de mais de 700 m, em caminhada de ascenção numa manhã.

Ao chegar na base da Salkantay, o clima é frio com neve e algum vento. A paisagem continua ímpar e a vontade é de permanecer e explorar o local por mais algum tempo, entretanto em média é feita uma parada de 1 hora no local (pouco tempo para maiores aventuras). Após alcançar e contemplar a montanha que dá nome à trilha, é hora de continuar a caminhada, (agora descendo) com destino a Huyaracmachay, onde é servido o almoço. São quase 3hs de caminhada até esta nova parada para refeição e então continuamos seguindo.

No almoço em Huyaracmachay, uma comida rica em carboidratos e fibras, ideal para prosseguirmos após a “ciesta”.  Também é possível comprar agua e usar banheiro. Enfim, após a refeição é hora de botar o pé na estrada, rumo ao destino final do dia, o acampamento em Chaullay, um pequeno vilarejo, onde dormimos em barracas, mas tinhamos banho quente (por 10 soles) e tomadas para recarregar os equipamentos eletrônicos (por 1 sole a hora).

No caminho a Chaullay, as paisagens começam a mudar. Os picos nevados e o ar rarefeito da altitude começam a dar espaço ao verde das matas tropicais e o ar puro dos 2.800 m do acampamento.

Chegamos por lá umas 17:00hs, nos acomodamos nas barracas, trocamos de roupa (outros tomaram banho), e fomos pro “chá da tarde” onde praticamente emendamos até o jantar, com muita conversa com austríacos, franceses, australianos e ingleses.

Ao fim da refeição era hora de dormir, o dia mais cansativo e mais compensador da famosa Trilha Salkantay havia terminado e havíamos conseguido vencer!

DADOS TÉCNICOS:

  • Distância: 20,8 Km
  • Tempo de caminhada: 8h a 9h
  • Altitudes: de 3.900 m (Soraypampa) a 4.620 m (base Salkantay) descendo a 2.800 m (no acampamento em Chaullay)
  • Formação do grupo: 24 integrantes (19 turistas, 2 guias, 1 cozinheiro, 2 ajudantes)
  • Nível de dificuldade: alto
  • Temperaturas: 0 a 20 ºC (período manhã) / 15 a 28 ºC (período tarde-noite)
  • Quantidade de água recomendada: 1 a 1,5 litros para o dia.

MAIS FOTOS – Acesse nosso álbum do 2º dia clicando aqui.

Vídeo deste dia – Clique aqui!

No próximo post vamos dar sequencia à esta trip e escrever sobre o terceiro dia da Trilha Salkantay.

T&T – Mais trilha e montanhas pra você.

Comente com Facebook

Saiba mais sobre o autor: Andre Pires Moraes